Veja Quais São os PIORES Alimentos Não Saudáveis e Suas Calorias!

A preferência por alimentos não saudáveis está cada vez mais evidente nos dias atuais. Com a correria do cotidiano, é comum que exista a preferência por refeições instantâneas, fast foods, comidas congeladas, e nem sobra um tempo (ou disposição) para praticar exercícios.

Boa parte das pessoas desconhece dos males de alguns alimentos, e podem acabar repetindo refeições sem saber o quanto o organismo pode estar sendo prejudicado.

Na maioria dos casos, o melhor a ser feito é evitar por completo o consumo de alimentos não saudáveis. Dessa forma, além de poupar a saúde de inúmeros riscos – como os de desenvolver doenças cardiovasculares, por exemplo –, você também poderá perder peso e possuir uma qualidade de vida melhor.

Neste artigo, você poderá conferir como se caracteriza uma alimentação não saudável, com enfoque na definição e lista de alimentos a serem evitados – bem como suas possíveis consequências para a saúde.

Alimentos Não Saudáveis

Alimentação não saudável

Uma alimentação não saudável consiste em, basicamente, a ingestão de alimentos ricos em diversas substâncias desenvolvidas em laboratório, com o propósito de ficarem mais atrativos para o público em geral.

Pode ser uma tarefa difícil buscar seguir uma alimentação saudável, quando há tantos alimentos mais chamativos e práticos para o consumo presentes no mercado.

Alimentos saudáveis são vistos comumente como “mais caros” e “menos gostosos”, dessa forma, não possuem um público muito extenso.

Pra quê se preocupar em cozinhar refeições ricas em nutrientes e vitaminas, se é possível simplesmente pedir uma pizza que chegará à sua mesa em menos de meia hora, repleta de queijo?

E é exatamente aí que mora o perigo. Muitas pessoas não tem o conhecimento dos males que certas comidas podem causar ao organismo e à saúde, e podem acabar se alimentando de comidas prejudiciais a saúde repetidas vezes em uma mesma semana.

Um estudo científico norte-americano concluiu que a  alimentação não saudável pode viciar os indivíduos da mesma forma como ocorre com as drogas ilícitas.

De acordo com os cientistas, o mecanismo cerebral que induz o individuo a comer alimentos não saudáveis de maneira compulsiva, seria o mesmo mecanismo encontrado em dependentes químicos.

Para chegar a essa conclusão, os pesquisadores realizaram experiências com animais durante três anos.

As cobaias utilizadas para a pesquisa foram divididas em um grupo que foi alimentado com uma quantidade considerada normal de comida saudável, enquanto o outro grupo recebeu parcialmente alimentos não saudáveis e o terceiro foi alimentado somente com alimentos não saudáveis.

Os estudiosos observaram então que os animais do terceiro grupo, além de ficarem obesos, ainda passaram a comer compulsivamente. É importante ressaltar que o estudo foi realizado com cobaias e ainda não foi finalizado pelos cientistas.

O que são alimentos não saudáveis

Os alimentos não saudáveis são aqueles ricos em gorduras saturadas e trans, altamente calóricos, ricos em sódio e em açúcares, geralmente industrializados, e que possuem conservantes (e corantes) artificiais – que como você pode imaginar, não fazem bem para a saúde.

Muitos desses alimentos são tidos como precursores de doenças, como o câncer – principalmente de mama, intestino grosso, próstata, reto, esôfago e estômago.

Não é como se fossem perigosos se ingeridos poucas vezes em uma semana, entretanto, a ingestão em grande quantidade pode aumentar os riscos da doença consideravelmente.

Há quem diga que “se um alimento é gostoso, então ele não faz bem para a saúde”, o que não é totalmente um equívoco, apesar de não funcionar para todos os casos.

Por exemplo, em casos de pessoas que estejam seguindo alguma dieta para perder peso, é comum buscar alimentos pobres em calorias, sódio e açúcares, que é justamente o que dá o sabor à maioria dos alimentos industrializados.

A alta demanda por alimentos não saudáveis promove o aumento de substâncias maléficas inseridos nos alimentos a partir de processos artificiais. Se uma comida for gostosa, muitas pessoas irão consumi-la.

Esse tipo de pensamento teve como consequência a inserção de componentes químicos desde em lanches, enlatados, alimentos embutidos, até mesmo em sucos – que deveriam ser “naturais”.

É importante ter o conhecimento dos rótulos nutricionais presentes nas embalagens, bem como os valores calóricos e nutricionais de cada um. Você poderia ficar surpreso (a) com a quantidade de sódio presente em barrinhas de cereais, por exemplo.

Lista de alimentos não saudáveis

Este tópico servirá para apontar alguns dos alimentos não saudáveis que podem ser facilmente encontrados na mesa de jantar, ou na rotina de diversos indivíduos. Dessa forma, confira abaixo alguns destes alimentos:

BEBIDAS AÇUCARADAS:

Não é nenhuma novidade o fato do açúcar estar relacionado aos principais alimentos prejudiciais à saúde.

Apesar de pequenas quantidades de açúcar serem essenciais para o organismo, alguns alimentos possuem açúcar o suficiente para suprir as taxas diárias demandadas pelo organismo em apenas uma unidade. As bebidas açucaradas são um exemplo.

O cérebro acaba não reconhecendo as tais bebidas como alimentos, dessa forma, o consumo de açúcar não é “compensado”, levando os indivíduos a ingerir mais de outros alimentos – aumentando consideravelmente o consumo total de calorias ingerido em uma refeição.

Além disso, quando o açúcar é consumido em excesso, o corpo pode ser afetado por desenvolver uma resistência à insulina, relacionada a doenças hepáticas.

O excesso de açúcar também pode levar a outras doenças, como a diabetes tipo II e doenças cardiovasculares – além de promover o ganho de gordura e a obesidade.

PIZZAS:

As pizzas são tidas como os alimentos não saudáveis com maior popularidade ao redor do mundo. Afinal, são práticas de consumir, baratas e muito gostosas.

A questão da pizza está relacionada ao fato de que, a maioria delas, sejam preparadas para fins comerciais, sendo feitas com ingredientes altamente insalubres.

As massas são feitas a partir de farinhas de trigo altamente refinadas, bem como as carnes – que geralmente são processadas. Além disso, as pizzas são altamente calóricas, e não devem em hipótese alguma ser consumidas em excesso.

TEMPEROS PRONTOS:

Apesar de não ser (tecnicamente) um alimento, os temperos prontos são consumidos em excesso pelo Brasil inteiro. A maioria dos temperos prontos contém doses altíssimas de sódio e substâncias para realçar o sabor dos alimentos.

O glutamato monossódico, por exemplo, altera as papilas gustativas. Além disso, os temperos prontos ainda contém conservantes, que não são nada saudáveis.

PÃO BRANCO:

O pão branco é mais um alimento consumido por inúmeras pessoas, que desconhecem o quanto podem ser prejudiciais à saúde.

Os pães são geralmente feitos através do trigo, que contém glúten – não devendo ser consumidos por portadores de doença celíaca ou que sejam sensíveis ao glúten.

Entretanto, fazem mal mesmo para pessoas que não são alérgicas ao glúten, devido ao fato de que a maioria dos pães são preparados com farinha de trigo refinada – que é pobre em nutrientes essenciais (calorias vazias) e conduz a picos rápidos de açúcar na corrente sanguínea.

BATATAS FRITAS E FRITURA EM GERAL:

As batatas, em si, fazem bem para a saúde. Entretanto, os produtos feitos a partir delas são prejudiciais à saúde – como salgadinhos e batatas fritas.

Estes alimentos são ricos em calorias, e são fáceis de serem consumidos em excesso. Diversos estudos associam o consumo de batatas fritas ao ganho de peso.

As batatas fritas, ainda, podem conter quantidades grandes de acrilamidas – que são substâncias cancerígenas que se formam quando as batatas são expostas a fritura, cozidas ou assadas.

SUCOS DE FRUTA:

O suco de fruta é visto como saudável por diversas pessoas, quando na realidade, são basicamente água com açúcar com sabor artificial de frutas.

Os sucos artificiais tendem a possuir quantidades mínimas de antioxidantes e vitaminas C, além de grandes quantidades de açúcar. Os sucos de fruta industrializados contém tanto açúcar quanto refrigerantes, podendo às vezes conter até mais.

Os sucos industriais sem adição de açúcar acabam sendo “menos piores”, entretanto, não são saudáveis como a maioria das pessoas acreditam ser. O recomendado é optar por sucos de frutas naturais, com a polpa da fruta, podendo até mesmo ser feitos em casa.

DOCES, BOLOS E BOLACHAS:

Não é preciso de muita informação para deduzir o porquê de não serem saudáveis. Afinal, é certo de que são preparados com açúcar refinado, trigo refinado e gorduras – que geralmente são ricas em gorduras saturadas e trans.

Alimentos doces e ricos em açúcar são uns dos piores a serem incrementados em qualquer dieta, por não conterem nutrientes essenciais, além de possuírem toneladas de calorias e ingredientes pouco saudáveis.

ÓLEOS VEGETAIS INDUSTRIAIS:

O consumo excessivo de óleos vegetais refinados vem aumentando consideravelmente nos últimos 100 anos – tais como os óleos de soja, algodão, milho e canola.

Estes óleos possuem alta quantidade de ômega 6, e o organismo dos seres humanos nunca foi acostumado a receber tanto dessa substância. O consumo excessivo dos óleos vegetais industriais é preocupante pelo motivo de serem altamente sensíveis à oxidação.

Além disso, são associados ao aumento do risco de câncer. Opte por utilizar alternativas contendo gorduras saudáveis, como o óleo de coco, azeite extravirgem ou óleo de abacate.

CHOCOLATE BRANCO:

Diferente dos chocolates escuros, o chocolate branco não contém cacau, e sim, a manteiga de cacau – que é apenas a gordura, não levando os benefícios do cacau em sua composição.

O próprio chocolate ao leite não é tão saudável, por conter pouco cacau, imagine então o chocolate branco que não contém cacau nenhum. O chocolate branco é rico em açúcares e não contém nutrientes importantes, apenas calorias.

Caso bata a vontade de um chocolate, sempre opte pelos mais amargos, que são mais ricos em cacau e pobres em gorduras.

MARGARINA:

Antigamente, a margarina era tida como uma substituição saudável para a manteiga – o que atualmente sabemos que é um pensamento equivocado.

A margarina é um pseudo-alimento, altamente processada, projetada para parecer com a manteiga e ter um sabor similar, repleta de ingredientes artificiais e (normalmente) produzida com óleos vegetais industriais hidrogenados.

Estes fatos aumentam consideravelmente a quantidade de gorduras trans presentes no alimento. Por isso, utilize a manteiga ao invés da margarina. Seu corpo irá agradecer.

SALSICHA:

A salsicha é o alimento menos saudável na categoria das carnes, por serem feitas da carne vermelha do porco – perigosas por si só. Um estudo revelou que indivíduos que se alimentam de carne vermelha diariamente, possuem maiores chances de desenvolver câncer de cólon comparado a outros.

As salsichas contêm altos níveis de gorduras e sal presentes em suas composições, além de serem repletas de corantes, temperos e substâncias químicas – que podem levar a complicações cardiovasculares.

Uma pesquisa realizada em 2008 concluiu que se alimentar de apenas uma salsicha por dia pode aumentar significativamente os riscos de câncer de intestino.

ALIMENTOS FOLHADOS:

Os folhados são produzidos com várias camadas de massa, dessa forma, são ricos em gorduras para que as camadas possam ficar soltas e caracterizar o alimento.

Além disso, são extremamente calóricos, podendo acarretar o aumento de peso em indivíduos sedentários – levando ao sobrepeso ou obesidade.

FIAMBRE:

É um alimento de origem animal, podendo apresentar alto teor de gorduras saturadas e exageros de sal em sua composição – podendo levar a uma obstrução dos vasos sanguíneos, levando possivelmente a um infarto.

BATATA-PALHA:

A batata palha, além de causar os mesmos problemas da batata frita, apresenta ainda mais um agravante (além do excesso de sal e gorduras) que é o fato de absorver menos a gordura do que os outros tipos de batatas.

Alimentos não saudáveis e suas consequências

Alimentos Não Saudáveis

Uma dieta contendo alimentos não saudáveis em excesso podem aumentar os riscos de doenças causadas pela falta da ingestão de determinadas vitaminas e sais minerais. A falta da vitamina A e de ferro são as principais deficiências nutricionais no Brasil.

A vitamina A, por exemplo, possui papel fundamental para a manutenção da visão, para o fortalecimento do sistema imunológico e para a saúde das mucosas, que protegem os órgãos.

A vitamina A pode ser encontrada através da ingestão dos famosos “miúdos”, como fígado, bem como através do consumo de leite integral e derivados, gema de ovo, frutas e legumes amarelos ou alaranjados em geral (abóbora, cenoura, manga e mamão) e de vegetais com folhas verde-escuras – como acelga, couve e espinafre.

A deficiência em ferro é comumente associada à anemia ferropriva (o tipo mais comum de anemia), que pode levar à fadiga, falta de apetite, taquicardia e até mesmo fissuras nos cantos da boca e a cabelos e unhas enfraquecidos.

O ferro pode ser encontrado em alimentos como carnes vermelhas, fígado, ovos, feijão, e em vegetais de folhas verde-escuras.

A ingestão excessiva de alimentos não saudáveis podem levar a consequências como a osteoporose, hipertensão, cáries dentárias e alguns tipos de câncer.

É comum encontrar em alimentos não saudáveis altas taxas de gorduras, calorias, sódio e mais, aumentando os riscos de obesidade e do desenvolvimento da diabetes tipo II.

A maioria dos alimentos industrializados e com componentes artificiais possuem substâncias nocivas à saúde, que podem acabar elevando os níveis de LDL (colesterol “ruim”) no organismo – podendo gerar o entupimento de artérias (aterosclerose) e causar infartos e derrames.

Piores alimentos para a saúde

O fato mais complicado para uma alimentação saudável é que os alimentos tidos como os “mais saborosos” (os de sabores mais acentuados) tendem a ser também os mais prejudiciais à saúde.

Dentre eles, podemos apontara os piores alimentos para a saúde (e mais presentes nas refeições) como os descritos a seguir:

BACON:

Um levantamento feito pela Escola de Saúde Pública de Harvard apontou que 50 gramas diários de carnes processadas, como o bacon, aumentam em 42% o risco de problemas cardiovasculares, e em 19% o de diabetes tipo II.

O bacon é rico em gorduras saturadas, uma fatia equivale a 6,4% do valor diário da gordura – que passa por um processo de oxidação, facilitando o surgimento de placas que podem inflamar as artérias sanguíneas, podendo comprometer o coração.

A diabetes tipo II, por sua vez, pode ocorrer devido à redução da produção de insulina em resposta às dimensões corporais do indivíduo.

O consumo exagerado de bacon (que é altamente calórico) pode fazer com que, em algumas pessoas, o organismo chegue em um quadro de deficiência hormonal – passando a produzir uma quantidade de insulina insuficiente para o tamanho do corpo.

Um estudo publicado no British Journal of Cancer concluiu que comer 50 gramas de carne processada diariamente aumenta em 19% os riscos do desenvolvimento de câncer no pâncreas.

Os cientistas responsáveis pelo estudo acreditam que isto acontece porque algumas das químicas, utilizadas para preservar este tipo de alimento, são transformadas no corpo em substâncias que podem afetar o DNA, acarretando no aumento dos riscos de câncer.

ATUM:

O atum é um alimento que tende a ser considerado bom para a saúde, afinal, é um peixe – e peixes são saudáveis, certo?

Entretanto, é necessário tomar cuidado com a procedência do atum, já que é um peixe que tende a acumular frequentemente resíduos tóxicos em seus corpos, devido à poluição industrial.

A ingestão desse peixe pode levar a envenenamento por mercúrio e, por o mercúrio ser uma neurotoxina, ele pode acarretar em danos ao cérebro e ao sistema nervoso.

O atum é comprado, geralmente, em lata – o que torna seu consumo ainda mais perigoso. A maioria dos alimentos enlatados são expostos ao BPA (uma substância que pode ser encontrada no revestimento das embalagens).

Essa substância pode prejudicar o desenvolvimento cerebral em crianças. O atum fresco também possui uma grande quantidade de sódio – aproximadamente 42mg a cada 90 gramas.

No processo para “enlatar” o atum, os fabricantes acrescentam sal para aumentar a validade do produto, sendo um alimento perigoso principalmente para crianças e gestantes.

SORVETES INDUSTRIALIZADOS:

Por conterem altas taxas de açúcar e calorias – além de serem ricos em gorduras trans –, os sorvetes industrializados entram na lista dos piores alimentos para a saúde.

Os sorvetes possuem carboidratos de baixo valor nutricional, e contêm corantes artificiais e componentes que, em excesso, podem aumentar os índices de gordura presentes no organismo.

FAST FOOD:

Os famosos lanches, hambúrgueres, batatas fritas e pizzas, contêm excesso de gorduras saturadas, além de sódio, proteínas e calorias. Alimentos como estes também podem trazer consigo quantidades significativas de gorduras trans – responsáveis por aumentar o risco de problemas cardíacos.

SALGADINHOS DE MILHO:

O pacote com salgadinhos de milho (aproximadamente 63 gramas) possuem um valor diário de 32,5% de gorduras totais, 17% de sódio e 10% de gorduras saturadas.

O salgadinho de milho também pode causar alergias, aumento da pressão e do risco de doenças renais. Além disso, o salgadinho é feito com milho transgênico, que é uma mistura de DNA, aumentando os riscos de alergias e deficiências nutricionais.

Alimentos não saudáveis e suas calorias

Alimentos Não Saudáveis

Conhecer os índices calóricos presentes nos alimentos consumidos é mais do que fundamental. Afinal, calorias em excesso não fazem bem ao organismo, e disso todo mundo (provavelmente) já sabe.

Abaixo, iremos disponibilizar os principais alimentos não saudáveis e suas calorias, para que você possa ter o conhecimento do teor calórico que consome, podendo substituir por outros pratos – evitando problemas à saúde do organismo.

  • Hambúrguer: Um lanche normal costuma ter 264 calorias;
  • Fatia de pizza: Gira em torno de 300 calorias;
  • Hot dog: 290 calorias;
  • Sorvete: 207 calorias;
  • Salgadinhos de milho: Em torno de 400 calorias;
  • Coxinha de frango: 211 calorias;
  • Empadinha: Aproximadamente 200 calorias;
  • Batatas fritas: 415 calorias por pacote;
  • Bolinho de bacalhau: 400 calorias aproximadamente;
  • Lata de coca-cola: 137 calorias;
  • Mortadela: 258 calorias em 100g;
  • Salsicha: De 100g a 200g calorias por unidade;
  • Bolachas recheadas: 60 calorias;
  • Balas: 10 calorias por unidade;
  • Fatia de bolo de chocolate: 370 calorias;
  • Chocolate ao leite: 160 calorias por 30 gramas;
  • Copo de Suco industrializado: 114 calorias;
  • Salmão enlatado: 130 calorias em 100 gramas;
  • Sardinha: 134 calorias em duas unidades;
  • Banana Split: 840 calorias por taça;
  • Azeite de oliva: 90 calorias por 10 gramas;
  • Margarina: 75 calorias por 10 gramas;
  • Iogurte: 226 calorias por unidade, em média;
  • Pão italiano: 154 calorias em uma fatia;
  • Sashimi de salmão: 211 calorias por 100 gramas;

O item mais importante a ser levado em consideração no momento de decidir quais calorias ingerir, é a qualidade de cada caloria.

Alimentos com calorias saudáveis podem conferir a nutrição e a sensação de saciedade de que o organismo necessita. As calorias presentes em uma fatia de pizza, por exemplo, são prejudiciais ao organismo.

Veja Quais São os PIORES Alimentos Não Saudáveis e Suas Calorias!
4.9 (98.67%) 75 votes

One Response

  1. Marty Fahey junho 25, 2017